Malcriados ou sem educação?

Padrão



Pais muito polidos, roupas alinhadas, mães com bolsas de marca, gestos adequados e ao lado, filhos que são  um terror por onde passam. Malcriados ou sem educação? Nem sempre quem recebe  informações é suprido de todas as necessidades, tanto físicas como educacionais, são crianças ou jovem educados. A Educação não depende só da informação intelectual, mas acima de tudo, a informação é exercício do respeito a todos os seres que os cercam.

Essa é a diferença. Educação não é só aparência, não é só instrução, não é só saber sentar, comer e estar aparentemente alinhado. Educação é acima de tudo ensinar os filhos a partir dos próprios exemplos. É preciso ter respeito aos espaços públicos, de ensino, no convívio social e familiar. Filhos que fazem dos espaços públicos sua área de lazer, serão adultos invasivo, debochados e egocêntricos. Serão aqueles adultos que não deixarão ninguém falar, não ouvirão, não esperarão sua vez para o que quer que seja, e nunca pedirão desculpas. Precisará sempre de público para ser assistido em sua malcriação,  regredido e em tudo que fizer, escondendo dentro de si uma insegurança e medo da rejeição por nunca ter ouvido um não.

Muitas vezes pais confundem malcriação com “expressão”. Os espaços abertos, para que idéias e queixas fluam, facilitarão aos filhos a expressão e a segurança pessoal. Mas o cuidado é em dar também limite para que essa expressão seja de uma forma respeitosa, com diálogos educados, onde quando um fala o outro escuta e vice e versa. Onde os ataques exagerados que amedrontam muitas vezes os pais, sejam contidos nos filhos. Duas bocas abertas gritando ou duas fechadas não se conseguem bons resultados. Saber ouvir no momento certo e dar limite para serem ouvidos, tanto pais quanto filhos se beneficiarão.

Há pais que  acham lindo quando filhos se “expressam” tratando mal professores, empregados e amigos. Pais preguiçosos que não sentem força e nem vontade para repreender, conduzir, sinalizar e mostrar os pontos falhos, serão vitimas dos próprios filhos. É o criado contra seu criador. Pais que passam por educação rígida e abrem espaços enormes de permissão e permissividade, são coniventes com a derrocada e a frustração dos filhos na vida cotidiana.

É dever dos pais e responsáveis educar e conduzir  os filhos dentro de um equilíbrio necessário. As crianças e jovens necessitam passar pelas experiências com supervisão dos pais, para que se tornem adequados, sem perder sua individualidade e ganhando força e potência no seu existir, na expressão da sua alma. Entretanto liberdade não pode se tornar abuso e malcriação. A educação se inicia na sociedade limitada (casa) para se estender de forma adequada para a anônima (social). Um bom convivo psico-social dará aos filhos a referência da aceitação, de um desenvolver tranquilo que os tornará mais felizes e plenos.

Que todo os seres sejam felizes!!

Tereza Valler

Ananda Hayaam

Anúncios

Escreva seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s