Sonho e vigília

Padrão

Mais uma vez deixem que seja sua a manhã, deuses.
Continuamos repetindo. Vocês são a única fonte. – Rilke

No decorrer de nossa vida, sofremos os efeitos de muitos obstáculos que, não raramente, são respostas à nossa percepção imperfeita da realidade.
E essa forma imperfeita de compreender o mundo que nos cerca, diária e inconscientemente, faz a retroalimentação de comportamentos e crenças limitadoras, dificultando o nosso caminhar.
Contudo, para auxiliar nosso processo evolutivo, durante o estado de sono, o Self busca se comunicar com a personalidade física (nível do ego) a fim de transmitir informações importantes a respeito dos conflitos e bloqueios que estejam se manifestando no nível consciente.
E, geralmente, como as comunicações originadas do Self não alcançam a personalidade diretamente, esses conteúdos são codificados na forma simbólica dos sonhos.

Caso as pessoas estejam dispostas a trabalhar o significado de seus sonhos, elas passam a contar com recursos mais legítimos para conduzir o próprio conhecer-se, logrando uma gradual desestruturação do conjunto de mensagens negativas gravado há muitos anos em seus computadores cognitivos.
O principal problema com esses conteúdos armazenados é o fato de eles serem inconscientes, pois estão abaixo do campo da consciência, e normalmente inacessíveis à mente consciente.
Mas o Self, por operar num nível situado acima do nível da mente consciente, detém a solução para muitos dos nossos problemas porque compreende as coisas a partir de uma perspectiva holística, orientando os aspectos essenciais à nossa proposta evolutiva como indivíduos.
Desse modo, através da linguagem simbólica dos sonhos, o Self tenta revelar ao ego o que está encapsulado em nossas usuais atitudes, pensamentos, bloqueios, e que, muitas vezes, são a causa real das dificuldades com as quais esbarramos no nosso dia-dia.
Além disso, uma medida de auxílio ao esforço do Self, e para corrigir/modificar as mensagens negativas que enviamos a nós mesmos, segundo a nossa programação cognitiva, é o uso consciente de afirmações verbais positivas.
Certamente, através de repetições de afirmações positivas prolongadas no tempo, as mensagens destrutivas e responsáveis por estados mentais e emocionais corrosivos, segundo referenciais negativos, são apagadas para dar lugar a uma reprogramação fundada em mensagens de autoamor e autoconfiança. Essas mensagens, por sua vez, vão facilitar o aprendizado individual (e em consequência o coletivo) na Terra.

Eugênia Pickina

Anúncios

»

  1. Certamente o tema merece outros posts, inclusive para detalhar – mesmo de forma exemplificativa -como e em que momentos podemos ‘lançar’ as afirmações positivas para a desconstrução das mensagens negativas enviadas constantemente a nós mesmos. Aliás, eu até sugeriria uma categoria à parte, uma vez que o mundo inconsciente – acessado pelos sonhos – é assunto sem dúvida de altíssima importância e interesse ao passageiro da ‘transformação’. Obrigado por compartilhar!

    • Obrigada pelo comentário significativo. Novos posts tratarão com carinho essa temática (conteúdo onírico/uso de afirmações positivas) com exemplos e práticas simples. No geral, podemos fazer uso de afirmações positivas diariamente, pois todos nós necessitamos modificar programações internas negativas. E afirmações positivas, praticadas por tempo prolongado, são medidas excelentes para uma salutar transformação interior. Bj.

  2. Olá, Eugênia. Adorei o post. Eu acrescentaria que, para que a transformação interior faça sentido, há que concretizá-la no exterior, vale dizer, há necessidade também de ir colocando as afirmações em prática. Assim as atitudes/ações positivas, reafirmarão a autoconfiança, num círculo virtuoso para uma transformação integral. Mas, o tema é complexo e merece muitas abordagens. Assim, aguardo ansiosa as novas postagens. Obrigada por dividir conosco seus conhecimentos. Bjos.

    • Obrigada, Suzete, pelo comentário que acrescenta, educa, esclarece. Volte sempre para nos inspirar com sua sabedoria amorosa! Beijos.

  3. Olá Eugênia,

    Gostei muito da sua explicação! Parabéns!

    Me permita acrescentar que o estado de vigília – como explica Gurdjieff – é um estado de sono sem sonhos. O Ser Natural (Self), como você esclarece, aguarda a nossa conexão. Na medida em que nos tornamos mais presentes, abrimos caminho para o desvelar do Self… Ajudam muito neste processo as recitações (afirmações de reconhecimento dos Princípios Naturais), as meditações na respiração (que gera a ego-vacuidade), dentre outros exercícios para o despertar…

    Reconheço, amo e agradeço a todos os Seres e Forças da Criação!

    Gratidão,

    Amir

    • Oi Amir.
      Muito obrigada pelo comentário e acréscimos valiosos. Sua presença aqui é abençoada. Volte sempre para complementar e enriquecer os posts com sua experiência e saberes. Abraços.

Escreva seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s