Arquivo da tag: Alegria

Amor orgânico

Padrão

20130706-132956.jpg

Que bom seria se o amor fosse orgânico.Cultivado em terra natural, limpa, preparada, revolvida e adubada com verdade, alegria, sem medos, recebendo espontaneamente o Sol, a chuva, as estrelas, as luas, o frio e o calor. Sementes de qualidade espalhadas nos jardins dos sentimentos, trazendo no seu DNA as essências mais nobres, sem resíduos venenosos, para florescerem.
E, ao se abrirem em frutos, flores perfumadas, suculentos, para doação e entrega, preenchidos de autoestima, amor próprio, confiança, coração cheio de amabilidade,inspiração, doçura e gentileza.
O amor orgânico só floresce em terra sem agrotóxico das paixões e emoções exageradas, doentias, que impedem o desabrochar e envenenam o próprio ser. Leia o resto deste post

Estrela de luz

Padrão

20121219-200250.jpg

Segue a estrela do seu coração; e se desvencilhe das amarras e abra os laços da alma que guarda presentes maravilhosos. Renasça na chama Crística e se lance na vida com alegria, paz e serenidade. Arrisque-se e dê sentido a tudo aquilo que ainda é sonho. Passeie pelos jardins encantados do querer e execute tudo que seja um real desejo.Descanse sempre que a caminhada for longa e se refresque na água cristalina da fonte.
Ore em gratidão por tudo aquilo que se foi, é e será. Leia o resto deste post

Reinventar a si mesmo

Padrão

Há pessoas que nunca foram crianças, nasceram já como adultas. E isso não é apenas uma metáfora, pois conheço alguns indivíduos que desde que se entendem por gente se recordam de desvendar mistérios, criar soluções e, de acordo com uma “curiosidade intelectual”, estarem atentos a respeito de tudo.
De outro lado, uma criança, verbal e com mente prática, muitas vezes perde experiências subjetivas que eventualmente pode querer quando adulto, pois mais entretida, durante a infância, com as coisas de “gente sensata”.
Ao contrário desse “modo sensato, às vezes é necessário ao adulto resgatar a criança e colocá-la estarrecida diante de alguma coisa para reinventar a si mesmo, para conseguir reaprender a brincar, rir, chorar e ser confortado, abrindo mão de rótulos velhos e familiares, esquecendo um pouco os arquivos da memória ou as noções preconcebidas sobre os eventos internos e externos. Com isso, adquirir leveza, alegria. Leia o resto deste post

Gratidão e amor

Padrão

20120807-165253.jpg

Qual a energia mais necessária para a manutenção da vida no Planeta? O amor e a gratidão.
Assim a energia do amor e da gratidão que carregamos conosco tem o poder de sustentar nossa harmonia e também levar felicidade para as pessoas à nossa volta.
Masuru Emoto explica que o “amor é a energia que damos aos outros e a gratidão é o que sentimos quando recebemos amor de outras pessoas. Em outras palavras, a mais grandiosa forma de energia é a que resulta da harmonia entre a energia de dar e a energia de receber”. Leia o resto deste post

Expressão da minha alma

Padrão

Desde que “aprendi” a meditar, o silêncio me persuadiu. Sei agora que tenho guardiões invisíveis que caminham ao meu lado desde que minha vibração não os assuste. Estar mal é portanto, uma poluição auto destrutiva. Acaricio meus sonhos todas as manhãs e agradeço a quem me ensinou a sonhar. Cada dia sou mais grata ao Universo o presente de um novo dia. Saio da cama disposta a não desperdiçar um só instante sequer, porque cada momento é uma partícula de eternidade. Caminho em paz pela vida, deixando intacta minha sensualidade. Do alto do meu otimismo, meu silencio grita: Sou Eu Mesma!! Sem prepotência nem baixa auto-estima, sem arrogância, nem fraqueza, sou Eu.Cada dia tento dar o melhor de mim.Quando estou com outra pessoa procuro a mais e melhor autencidade e oferecer o que tenho de melhor.Minha vida flui alegremente pois o crescimento faz de cada instante um festival.Não tenho duvidas. Vale a pena viver!! De café tomo amor ,almoço caricias,  janto abraços, sonho paraísos. Muitas pessoas não me entendem, mas não me importo! Deixei de fazer isso quando minha alma fugiu da prisão. Para as pessoas incompreensivas não esta prevista a plenitude nem a sabedoria. Até a honestidade é mal vista e a liberdade tem conotação ruim. No começo, tive que juntar meu corpo, meus corpos, que estavam em pedaços espalhados por aí. Minha alma estava chamuscada por tantos erros induzidos. A felicidade é sempre oportuna, lembro disso frequentemente para não deixar de viver nenhuma oportunidade. Desde que me apaixonei pela vida, o meu otimismo tem estado aqui. É que a vida é tão curta que quem se complica ou sofre á toa só faz dela ainda menor. Além disso, fiquei amiga do silencio e ele me ensinou que todo sofrimento é estéril, que sofre por sofrer não tem nenhum mérito e não garante um pedaço no paraíso.  Sei também que quando eu morrer vão me perguntar se fui feliz aqui na Terra, porque o paraíso está reservado para quem foi feliz nesta vida. Para os outros, sobra o inferno e lá pelo jeito não chove. Domesticar minha alma?..Não, obrigada, me proibiram de ser infeliz..

Por Tereza Valler

Impreciso (e alegre) viver

Padrão

2347580382_5104f6a767_oA  falta de alegria se cristaliza no hábito do girar em círculos, o que faz a alma adoecer, pois ela deseja abrir-se à transparência de qualquer circunstância que se anuncia.

É preciso caminhar o caminho. É preciso singrar rumo ao esperado que dá oportunidade ao inesperado, pois há em nós uma abertura para a boa qualidade de nossas forças criativas.

Como sou quando estou a sós? Não há outro meio: precisamos explorar o que nos falta, mas dando rumo ao que nos preenche, mesmo que isso cause medo, pois essa permissão faz colapsar a turgescência.

E como a qualidade de (re)inventar é nossa natureza essencial, por que sentimos medo? Em algum instante nebuloso perdemos a confiança essencial, asfixiada no “primeiro medo”, enterrado em terras submersas, e passamos a viver segundo a trama da mesmice, influenciada pelo jogo, inglório, do padrão e do descaso com a própria originalidade.

Arrisco: nossa vida vale pelo novo olhar que pomos nela. Por esses olhares renovados podemos redimensionar nossa verdadeira face, sem o cansaço das máscaras, tediosas, pois repetidamente testadas, o que consuma em nós a falta do encanto.

O autodesenvolvimento é solícito a um modo de vida que seja baseado no testar das aptidões, mas também nos erros e experimentos que as partilhas possibilitam, pois essa flexibilidade, em si mesma, é capaz de aprofundar nosso amor por nós mesmos.

Rollo May afirma que “amar significa essencialmente dar; e dar exige maturidade no conceito de si mesmo”. Essa exigência, por sua vez, liga-se à consolidação da autovalorização, tecida, sobretudo, pela vida de relação…

E se o reino de Mefistófeles é o reino da ilusão, toda circunstância que a vida desdobra dá condição para ser apreciada, nunca para dar guarida ao fugir nem fingir: e dela devo dispor para viver como se fosse, sobretudo, eu mesmo.

O presente pode ser fecundo, pode ser eivado de mistérios… Já dizia Quintana, no seu Baú de Espantos: “Não desças, não subas, fica. O mistério está é na tua vida! E é um sonho louco este nosso mundo…”

Então, não ilhado na rigidez das horas, dê vazão a si mesmo – para o interior e o exterior. Permita-se fluir como um rio, que não pode parar. Alegremente, cativa o amor  e não represa o espanto emerso do impreciso viver…

Eugênia Pickina – Palavra Terra

Zinnia – O arquétipo da criança interior

Padrão

Inspira_06_02mail.google.com

“Em todo adulto espreita uma criança – uma criança eterna, algo que está sempre vindo a ser, que nunca está completo, e que solicita atenção e educação incessantes.
Essa é a parte da personalidade humana que quer desenvolver-se e tornar-se completa” (Jung)

“Toda criança nasce com a capacidade inata de rir e brincar, de penetrar na vida com a plena exuberância da alma alada.” (Patricia Kaminski).
Muitas vezes, quando as memórias da infância são dolorosas, fechamos nossa  criança dentro  de um  armário. Nosso ego adulto sufoca e suprime essa parte do Eu,ficamos embotados, sem criatividade, sem alegria. Mas a criança permanece e, mesmo contida,  dá sinais de vida e clama por nosso olhar, atenção e carinho. E mais uma vez vamos olhar para a natureza ao redor e observar essa flor chamada “Zinnia” ,que nos convida a “brincar. Vamos perceber o que ela quer nos dizer com seu gestual, qual é a mensagem?
Se observarmos as flores centrais , parecem crianças dançando, brincando de roda. Olhando atentamente, podemos entrar em contato com toda a alegria, leveza e descontração que a flor nos oferece. Parece que ela nos sorri o tempo todo e  nos envia  mensagens: Vamos validar a criança que habita em nós!  Vamos dar voz a essa criança!
Essa essência floral nos faz entrar em contato com a leveza da criança interior, que brinca e ri o tempo todo, traz um coração leve e muita alegria interior.
O bom humor é um sinal de que se está verdadeiramente num caminho espiritual equilibrado e é inerentemente humano.
Não precisamos ser excessivamente sérios,podemos nos divertir mesmo tendo inúmeras responsabilidades e compromissos. Vamos nos deixar envolver pela alegria, descontração e leveza dessa flor. Vamos “soltar” nossa criança interior!

Por Vilma Domeneghetti